• Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos
  • Fermentelos

FESTIVAL JUVENIL DE MÚSICA ENCANTA FERMENTELOS

Realizou-se no passado sábado, no auditório da Junta de Freguesia de Fermentelos o Festival Juvenil de Música organizado pela Marcial de Fermentelos, em parceria com a autarquia local.

Para gáudio dos presentes, desfilou pelo palco perto de centena e meia de jovens, cabendo a primeira actuação à Orquestra Ligeira do Conservatório de Música de Águeda (OLCMA) que, dirigida pelo maestro Óscar Saraiva interpretou Malaguena (Ernesto Lecuona), Spain (Chick Korea), The Chiken (A. J. Ellis) e Enter Sandman (Metallica). Existindo desde a fundação do Conservatório de Águeda, no ano de 1995, e formada pelo saxofonista Fernando Valente, primeiro director pedagógico desta escola de música, a OLCMA tem-se assumido como o ex libris da instituição, desenvolvendo o seu trabalho na linguagem do jazz e da improvisação musical. Este grupo elevou-se artisticamente nos vários anos que trabalhou com o professor Luís Cardoso, tendo representado o conservatório nos mais variados concertos temáticos, festivais de jazz, festivais de música em geral, eventos culturais e no musical realizado pelo Conservatório - Song of My Life. Mantendo este nível, sendo que, regra geral, integram este grupo os alunos mais avançados no sistema de ensino, a orquestra trabalhou ainda com os professores Paulo Gaspar, Jonathan Costa, Giovani Malini.

De seguida actuou o BSax Ensemble, um grupo composto por jovens saxofonistas da Escola de Artes da Bairrada, sob a orientação da professora Rira Pereira, que numa primeira parte executaram Sinfonia nº 3 de Jean Sebastian Bach.

A terceira participação foi da Orquestra Juvenil da Quinta do Picado, que sob a direcção de Andreia Santos interpretou Children’s Suite (Andre Waignein), Billie Jean (Michael Jackson), We Will Rock You (Queen) e I Feel Good (James Brown), sendo que destas três últimas obras com arranjos da própria maestrina. Criada em 2012 como oferta educativa resultante da nova estruturação da escola de música levada a cabo nesse ano lectivo, a Orquestra Juvenil da Banda da Quinta do Picado segue o modelo pedagógico presente nos conservatórios e academias oficiais de música, tendo como objectivo facultar aos alunos da escola de música da banda a possibilidade da experienciação de música em conjunto, vista como passo primordial antes da entrada efectiva na banda de música. Serve também como meio de ligação entre as aulas individuais de instrumento e a banda, onde estes tocam um repertório mais apropriado para o seu nível musical e artístico. Inicialmente constituída por apenas 10 alunos, teve um crescimento acentuado no número de executantes, para os actuais 39 alunos. Com uma faixa etária compreendida entre os 8 e os 17 anos, a Orquestra Juvenil da Quinta do Picado assume-se como uma formação instrumental flexível, promotora de relações inter-sociais e potenciadora de capacidades cognitivas

Para uma segunda participação, subiu de novo ao palco o BSax Ensemble, tendo interpretado Ressurrecion Del Angel (Astor Piazzola) e Peter Gunn Theme (Henry Mancini).

A fechar o excelente espectáculo, a Banda Juvenil da Marcial de Fermentelos que, com cerca de 20 anos, conheceu um novo impulso durante o mandato directivo de 2007/2010, numa clara aposta desta instituição na formação, no âmbito da sua Escola de Música, desempenhando assim o papel da maior classe de conjunto neste nível. Formada por uma equipa de excelência, a Escola de Música da Banda Marcial permite uma contínua renovação dos quadros da banda principal, contando com 15 ingressos de jovens músicos nos últimos 3 anos e presentemente, já representam mais de 40% do número total de músicos da Banda Marcial de Fermentelos. Considerando padrões formativos e pedagógicos devidamente ponderados, na Banda Juvenil são trabalhadas e executadas obras adequadas ao nível etário dos seus membros, cujas idades estão compreendidas entre os 9 e os 18 anos. Trata-se de um repertório que contém não só elementos musicais que estes alunos compreendem, como também apela à boa disposição, elemento crucial para que os mais jovens façam da música também um prazer. No seu sistema de ensaios, os elementos da Banda Juvenil não se limitam a tocar, sendo constantemente desafiados com uma série de exercícios pedagógicos com vista à sua preparação para o palco e contacto com o público de uma forma mais adulta e madura. Sob a direcção do maestro Pedro Costa, a Banda Juvenil da Marcial de Fermentelos interpretou Lux Aurumque (Eric Whitaere), Trumpet Concerto (J. N. Summel, tendo Diogo Diogo como solista), You Know I’m No Good (Amy Whinehouse) e A Minha Música (José Cid), sendo que destas duas últimas obras os arranjos são do próprio Pedro Costa.

A finalizar, um momento protocolar para entrega de lembranças da Banda Marcial e de Freguesia aos grupos participantes, a que se seguiu um convívio proporcionado pela Junta de Freguesia, que registou uma noite musical em que ficou patente o elevado nível das actuações, e que deixou o público visivelmente agradado, assim criando legítimas expectativas de que este tenha sido apenas o primeiro de muitos festivais a realizar, porque se tratou de uma experiência a repetir, sem margem para qualquer dúvida.